Pages

quarta-feira, 29 de setembro de 2010

Balaio de palavras

Pela fresta da porta vejo o mundo a sorrir
As casas da vizinhança são resquícios de lembranças
Através de passagens insolidas chego ao mundo de "Sei lá"
Onde o faz-de-conta faz-se de inocente.

A rosa que embeleza o meu jardim
É a mesma que diz quantos Guilhermes sou
Psicologia de smart mostra-me o sono
O sono do futuro próximo


A linha tênue se mostra expressa
Entre Deus e a sorte vejo a saudade
O ódio se decompõe feliz em meio o beijo da lua de prata


O sentido não mais existe
Tudo que lês é um balaio de palavras mortas.




Obs.: Ontem pedi para que as pessoas com quem eu conversava dizer-me uma palavra, a primeira que viesse à mente. Tive como resposta casa, porta, sei lá, mundo, rosa, Guilherme, palhaço, sono, futuro, Deus, psicologia, smart, oi, saudade, feliz, ódio e sorte. Usando estas escrevi o que você, provavelmente, acabou de ler.

5 comentários:

  1. Isso que eu chamo de criatividade!
    Uma palavra pra vc: inspiração!!

    Lindo*-*

    BeijO
    http://www.evesimplesassim.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  2. bom uso de "palavras"
    seguindo
    blog indicado pelo jornal Destak
    http://universovonserran.blogspot.com
    quem seguir e comentar,sigo e comento de volta !
    busco parceiros !

    ResponderExcluir
  3. Desculpa, mas não sei o que fiz com ela.

    ResponderExcluir